Estudo mostra os principais fatores que impactam na decisão de onde as pessoas fazem suas compras de supermercado

De acordo com dados do estudo da Acosta, a busca pelo melhor preço em alimentos, variedade de produtos, qualidade e conveniência estão levando os consumidores a saltar de varejista para o varejista e, ao fazê-lo, as lojas convencionais estão perdendo muitas vendas e clientes.

O estudo do final de 2017 mostra que 69% dos shoppers (as pessoas responsáveis por fazer as compras) compram em mais de um varejista semanalmente, com a maioria (40%) visitando dois varejistas, 21% visitando três e 8% indo a três ou mais supermercados semanalmente. A imagem abaixo apresenta a frequência de visitas a diferentes supermercados separado por faixa de idade/geração dos shoppers.

Outro ponto analisado na pesquisa foi a frequência de ida às compras de supermercado. 65% dos shoppers vão entre 1 e 2x por semana, como mostra figura abaixo:

Comparativo de frequência em que shoppers vão às compras de supermercado

O estudo mostra que, na maioria dos casos, as pessoas gastam um pouco mais no primeiro varejista que visitam – cerca de $47,93 em média para 12,7 itens. Mas o valor que eles gastam no segundo varejista não é muito menor, chegando a $44,23 por cerca de 11,9 itens por visita.

O preço é o maior influenciador para escolher o supermercado

Para 60% dos consumidores, o preço é o motivo principal que os leva a escolher qual varejista irão fazer suas compras. Mas, de acordo com Acosta, novos entrantes varejistas, com modelos de negócios de grandes descontos, podem mudar isso. Dadas as margens escassas no setor de alimentos e bebidas, Acosta adverte contra os varejistas que se envolvem em uma guerra de preços para conquistar consumidores.

“Concorrência no preço não é sustentável a longo prazo, já que as margens já finas são ainda mais erodidas”, observa. Mas se os varejistas tiverem que jogar com os preços, a recomendação é que o façam identificando itens de valor-chave para os consumidores – que mudarão a depender da localização e dos valores da comunidade, e provavelmente estarão em constante mudanças.

“Outro contrapeso às guerras de preços é a crescente preferência por marcas de lojas de alta qualidade ou marcas próprias”, o que é cada vez mais um fator na seleção dos varejistas pelos consumidores. O estudo mostra que em 2016, 48% dos consumidores disseram que escolhiam qual loja comprar com base no quanto eles gostam da marca; em 2012 esse número era de 39%.

Ter produtos e serviços de qualidade tem mais importância para o consumidor do que conveniência

Qualidade supera a conveniência

A qualidade é o segundo motivo mais comum pelo qual 41% dos consumidores visitam mais de um varejista, seguidos pela disponibilidade, com 33% dos motivos. Ambos os fatores excederam em muito a conveniência, listada por apenas 23% dos compradores.

Motivos de escolha de onde fazer compras de supermercado

Para atender a essas demandas de consumidores, que estão em constante mudança, varejistas que focam em ofertas e varejistas premium de produtos frescos estão abrindo novas lojas e aumentando sua base de clientes – muitas vezes às custas do varejista convencional.

Essa mudança é visível no declínio de 3,4% nas viagens dos consumidores para o supermercado convencional de bairro em 2017, em comparação com 2013; e o aumento de 1,4% nas viagens a hipermercados no mesmo período de tempo, de acordo com o estudo.

“Varejistas que focam em preços competitivos estão conseguindo tração com o “preço baixo todo dia”, checkouts mais rápidos e marcas próprias. Varejistas premium estão engajando os compradores com alimentos frescos de alta qualidade, itens exclusivos, variedade mais natural / orgânica e uma alta qualidade de atendimento ao cliente”, observa Acosta. O estudo mostra, entretanto, que essas lojas ainda representam uma pequena fração de volume de vendas em comparação com supermercados convencionais.

Principais recomendações

Muitas pessoas gostam de fazer compras – 62% delas. Por isso, é importante sempre buscar melhorar a experiência de compras para tornar os shoppers engajados e leais. Satisfação dos clientes é um componente crítico para tornar a experiência de compras prazerosa. Assim, desenvolva talentos e liderança com seus funcionários.

Refletindo sobre os padrões de consumo dos consumidores em constante mudança, Acosta recomenda que os varejistas vençam a competição mantendo a experiência de compras divertida e se mantendo alinhada com as demandas dos consumidores. Também recomenda que os varejistas criem fidelidade à marca oferecendo “inovação de produto, variedade e programas digitais envolventes”.

Acosta também recomenda que os varejistas não percam de vista a principal razão pela qual os consumidores visitam suas lojas: para resolver o ‘problema do que comer’. “Para 44% dos compradores, descobrir quais são as refeições saudáveis e convenientes para a família é um ponto problemático. Torne mais fácil para eles com kits de refeição / alimentos preparados, e receitas de pratos. Concentre-se em alimentos frescos com um sabor excelente, mas que também sejam autênticos e transparentes ”, recomenda Acosta.